Giuseppe Bedore

 

            Giuseppe Bedore nasceu aos 25.MAIO.1880 em Este, província de Padova, na região de Veneto no norte da Itália e faleceu com quase 92 anos, aos 16.MAR.1972 em Itápolis/SP, cresceu e permaneceu na circunvizinha cidade de Ospedaletto Euganeo até sua imigração para o Brasil.

            Casou-se com Emilia Broggin em 1906 em Sant´Margarita D’Adige/PD, cidade natal de Emilia, que veio a falecer em 1914 no Brasil, em Itápolis/SP.

Casou-se em segunda núpcias com Maria Gatti, em 1917 na cidade de Matão/SP.

 

            Irmão de Luigi Bedore (provável primeiro Bedore a pisar em solo brasileiro) é o tronco da terceira família que se estabeleceu no Brasil.

 

 

Ascendência de Giuseppe Bedore

 

            Giuseppe Bedore era filho de Giovanni Battista Bedore e Anna Crivellaro. Gio Batta nasceu aos 13.SET.1827 em Ospedaletto Euganeo, casou-se em primeiras núpcias com Antonia Moretti aos 27.SET.1849 em Este na paróquia de Prà di Este (mãe de Luigi) e em segundas núpcias com Anna Crivellaro aos 15.AGO.1864 também em Este na paróquia de Santa Maria Delle Grazie. Faleceu Giovanni Battista Bedore aos 20.FEV.1907 em Ospedaletto Euganeo com 79 anos de idade.

 

Gio Batta, diminutivo de Giovanni Battista era filho de Giovanni Maria Bedore II, nascido aos 23.OUT.1776, e de Lucia Pavanello nascida aos 14.MAIO.1779, filha de Giuseppe Pavanello e de Francesca Mazucca, ambos naturais de Ospedaletto Euganeo e casados em Este, na paróquia de Santa Tecla aos 11.OUT.1814, neto paterno de Antônio Bedore, nascido em 1646, já falecido em 1814 e de Ângela Bontà, filha de Gio Batta Bontà. Giovanni Maria Bedore II faleceu em Ospedaletto aos 18.OUT.1852 com 76 anos de idade.

 

Antônio Bedore (avô paterno de Gio Batta- acima) era filho de Gio Maria, nome abreviado de Giovanni Maria Bedore I, nascido aos 14.JAN.1710 em Ospedaletto, este filho de Zuane Bedore. Zuane é o mesmo de Giovanni no dialeto Veneto (ver na nota de rodapé e noutro capítulo a continuação dessa ascendência)[1].

 

Giuseppe Bedore e sua imigração

 

            Giuseppe Bedore imigrou para o Brasil partindo do porto de Genova em abril de 1913 pelo vapor Washington. Chegou no porto de Santos/SP, com trinta e três anos acompanhado de sua esposa, Emília Broggin e três filhos (além de um no ventre) : Ivo, com seis anos;  Maria, com quatro anos e Agnese, com um ano. Todos nascidos em Ospedaletto Euganeo.

 

Emilia Broggin

 

 

            Segundo registros do Museu do Imigrante, veio para o Brasil, através do programa de incentivo à mão de obra italiana para as fazendas cafeeiras (aclamado na época como “ouro negro”), patrocinado pelo governo do Estado de São Paulo. Estabeleceram-se inicialmente em Nova América e posteriormente em Itápolis/SP.

            Seu quarto filho, Paulo, nasceu cinco meses após a imigração, porém sua esposa veio a falecer durante o período de quarentena dessa gestação.

            Casou-se pela segunda vez com Maria Gatti em Matão/SP, aos 20.OUT.1917 com quem teve mais cinco filhos: Emílio, Arcanjo (vivo em junho de 2001), Rifeu, Antônio e Emília, os quais deixaram grande descendência em várias cidades do Estado de São Paulo.

 

Maria Gatti

 

 

Descendentes de Giuseppe Bedore

 

             Descendem de Giuseppe Bedore nove filhos, sendo quatro da primeira esposa, Emília Brogin e cinco da segunda esposa, Maria Gatti :

 

            Capítulo 1º Ivo Bedore

            Capítulo 2º Maria Bedore

            Capítulo 3º Agnese Arminda Bedore

            Capítulo 4º Paulo Bedore

 

            Capítulo 5º Emílio Bedore

            Capítulo 6º Arcanjo Bedore

            Capítulo 7º Rifeu Bedore

            Capítulo 8º Antônio Bedore

            Capítulo 9º Emília Bedore

 

 

 

Ivo Bedore

 

CAPÍTULO 1º

Ivo Bedore

 

            Ivo Bedore, o primogênito, nasceu aos 16.04.1907 em Ospedaletto Euganeo e falecido com 86 anos em Adamantina/SP, em 16 de janeiro de 1992;

 

 

Maria Marcon e Ivo Bedore

 

              Casou-se em Matão/SP aos 27.AGO.1928 com Maria Marcon, nascida em Pedreira/SP aos 17.JUN.1910, filha de Marim Marcon e Alice. Mudaram para Lucélia/SP, onde adquiriu um sítio e dedicou-se a atividades agrícolas, como cultivo de café, feijão, milho, algodão, vassouras, frutas e verduras; e também à pecuária, como gado de leite, porcos de corte (por longo período abasteceu os açougues da cidade de Lucélia). Foi pioneiro na construção de granja de galinhas poedeiras na região, forcecendo o produto direto a Cooperativa Agricola de Cotia através da sucursal de Bastos/SP. Décadas depois, com os filhos adultos e casados, mudou-se para Adamantina/SP, onde adquiriu outra propriedade rural e continuou a dedicar-se à agricultura, plantando  verduras, legumes, abastecendo a vila e comercializando na Feira Livre, aos domingos. Gozava de boa saúde, ate que num dia quente de dezembro de 1991,  durante os cuidados com o plantio, tomou um banho d´água gelada, depositada numa folha de bananeira, que originou pneumônia e complicações respiratórias, levando-o ao falecimento com 86 anos de idade, aos 16 de janeiroo de 1992. Anos depois, a viúva, Maria  Marcon, passou a exigir cuidados especiais em função de um problema originado por uma infecção cronicana na perna direita, indo morar com a filha, Irma Bedore, que ofereceu suporte até o seu falecimento, em Cesário Lange/SP, aos 7 de maio de 2005 com 95 anos de idade. Seu corpo foi trasladado para a cidade de Adamantina/SP.

 

Ivo e alguns representantes das gerações futuras

 

            Do casal Ivo Bedore e Maria Marcon, descendem onze filhos, nascidos na região de Matão/SP e  Itápolis/SP, exceto os dois últimos que nasceram em Lucélia/SP :

 

            Nº 01 Clarice Bedor

            Nº 02 Alzira Bedor

            Nº 03 Emília Bedor

            Nº 04 Irene BedorIIII

            Nº 05 Irineu Bedor

            Nº 06 Olga Bedor

            Nº 07 Ignez Bedor

            Nº 08 Alice Bedor

            Nº 09 Antenor Bedor

            Nº 10 Irma Bedore

            Nº 11 Valter Bedor

 

 

 

 

1.        Clarice Bedor, primeira filha do casal Ivo e Maria, casada com o português Hermínio de Jesus Tarelto, residente em Irapuru/SP, teve quatro filhos :

1.1.  Marinalva, casada com Luiz Nunes, residente em Adamantina/SP, teve duas  filhas :

1.1.1.      Simone, casada com Marcio, teve dois filhos :

1.1.1.1.Cláudio.

1.1.1.2.Junior.

1.1.2.      Marcela, solteira até a presente data (Dezembro/2005).

1.2.  Edna, casada com Rubens, teve duas filhas :

1.2.1.      Maria.

1.2.2.      Alessandra.

1.3.  Décio, casado em primeiras núpcias com Mara, teve um filho :

1.3.1.      Pedro Henrique.

 Separou-se. As segundas núpcias ocorreram em 2005.

1.4.  Eva, casada com Erismar, teve dois filhos :

1.4.1.      João Victor.

1.4.2.      Daniel.

 

 

2.        Alzira Bedor, casada com Antônio Bottaro, teve um filho :

2.1.  Clauzio, falecido num acidente em 28.03.1990.

 

 

3.        Emília Bedor, nasceu em Pedreira/SP, aos 30/AGO/1932. Residiu em Lucélia/SP, onde faleceu aos 16.AGO.1989. Casou-se com Ezualdo Fiorini com quem teve três filhos :

 

3.1.   Dalva, nasceu em Lucélia/SP, e faleceu aos 03.08.2002, em Campo Grande/MS, casada com Antônio Dallacosta, falecido aos 15.09.2001, teve três filhos :

3.1.1.      Thabata Fiorini Dallacosta.

3.1.2.      Thalita Fiorini Dallacosta, reside atualmente no Rio de Janeiro/RJ.

3.1.3.      Thiller Fiorini Dallacosta.

 

Família Fiorini Dallacosta

 

 

3.2.  Dejair Bedor Fiorini, nasceu em Lucélia/SP onde sempre residiu. Dedicou-se a vida política, cumprindo o mandato de 2001 à 2004 como vereador pelo PSDB, e também disputando a prefeitura nas eleições de 2004. Casado com Cristina, teve três filhos :

3.2.1.      Camila.

3.2.2.      Bruno, nasceu em Lucélia/SP e faleceu na mesma cidade, aos 09.06.2001.

3.2.3.      Jime

 

 

3.3.  Djalmas, casado com Claudia, teve duas filhas, ambas nascidas em Lucélia/SP :

3.3.1.      Maria Emilia.

3.3.2.      Ana Carolina.

 

 

4.        Irene Bedor, nascida em Pindorama/SP aos 28/02/1936. Casou-se com Augusto Luchetti, nascido em 10/06/1928, Pirassununga/SP,em 07/1956, Lucélia/SP e firmou raízes no Parque São Lucas, São Paulo/SP até seu falecimento em 2006. Tiveram três filhos, que em função das fortes raízes familiares continuam a viver no mesmo bairro:

 

 

4.1.  Rosemari Luchetti, nasceu em 03/02/1959 em Santo André/SP e casou-se em 10/01/1976, Santo André/SP com José Roberto Boni (nascido em 01/07/1953 em Santo André/SP). Cresceu e vive até hoje no Parque São Lucas, em São Paulo/SP; aprendeu a grande arte de preservar a estrutura e união familiar, independente de circunstâncias. Teve dois filhos :

4.1.1.      Danilo Boni, nasceu em 22/09/1980, em São Paulo (Hospital 09 de Julho, Av.Paulista). Para expressar um pouco do vínculo familiar, a avó Irene chegou a ter leite quando Danilo nasceu : “Quer que eu amamente ?” perguntava a avó à recém mãe...

Casou-se em 20/08/2005, em São Paulo/SP com Ana Paula do     Nascimeto, nascida em 03/12/1979, Santo André/SP. Teve um filho:

4.1.1.1. Guilherme Henrique Boni, nasceu em 25/07/2006, em São Paulo/SP.

 

4.1.2.      Giovana Boni, nasceu em 30/08/1981 no Hospital 09 de Julho (av.Paulista), em São Paulo/SP.

 A linda caçula, foi dotada de muita inteligência e determinação. Desde pequena demonstrou tais talentos. Aos 03 anos passou por uma fase difícil, onde por erro médico, fez uso de medicamento que afetou seu organismo e resultou na perda completa da visão. Porém não se entregou. Cresceu e utilizou seu potencial em várias áreas, passou na USP dentre os melhores em Processamento de dados e fundou em 2002 uma Escola de Música, que mantém até hoje, sempre contando com o apoio da família (avó ofereceu imóvel, pais assessoria). Casou-se com Valdinei Gonçalves de Aguiar (nascido em 18/03/1976, Mauá/SP), em 06/01/2007, São Bernardo do Campo/SP.

 

 

4.2.  Rogério Luchetti, nasceu em 15/05/1963, em Santo André/SP. Mantem um dos empreendimentos fundado pela família, a indústria Lajes Luchetti.

  Casou-se com Mara Alves Cruz, nascida em 04/01/1964, e tiveram dois filhos:

4.2.1.      Isabel Cristina Alves Cruz Luchetti, nasceu em 02/07/1989, Santo André/SP.

4.2.2.      Nicolas Alves Cruz Luchetti, nasceu em 26/02/1996, Santo André/SP.

 

 

4.3.  Roberto Luchetti, nasceu em 19/01/1958, em Santo André/SP e casou-se com Marilena, onde teve uma filha :

4.3.1.      Roberta Luchetti, nasceu em 11/04/1984, Santo André/SP e com Maurício teve um filho :

4.3.1.1. Kimberli Luchetti, nascido e 18/11/2005.

 

 

5.        Irineu Bedor, casado com Neide, teve três filhos :

5.1.  Elaine, casada com “Coelho”, teve dois filhos :

 

5.2.  Edson, casado com Elizia, teve dois filhos :

 

5.3.  Eleni, solteira até a presente informação

 

 

6.        Olga Bedor, casada com José da Silva , teve três filhos, (o primeiro já falecido) 

6.1.   

6.2.  Suzete, casada com Jair, teve uma filha :

6.2.1.      Franciele.

6.3.  Jofre, casado com Edna, teve uma filha :

6.3.1.      Gabriela.

 

 

7.        Ignez Bedor, nasceu aos 07.SET.1941 em Pedreira/SP, e residiu a maior parte da vida em Lucélia/SP, onde faleceu solteira, aos 21.JUL.1987.

 

 

8.        Alice Bedor, casada com Ademar de Moraes, teve três filhos :

8.1.  Lucimara, solteira até a presente data (Novembro/2005).

8.2.  Ademir, casado com Iracema, teve dois filhos :

 

8.3.  Haroldo, solteiro até a presente data.

 

 

9.        Antenor Bedor, dedicou-se à metalurgia na Volkswagen. Reside no Bairro Rudge Ramos, em São Bernardo do Campo/SP, casado Maria Marlene, teve três filhos :

9.1.  Alexandre Bedor, casado com Marli, residente à Vila Scarpelli em Santo André/SP, teve um filho :

9.1.1.      Bruno.

9.2.  André, solteiro até a presente data.

9.3.  Andresa, residente em Miami, EUA, solteira.

 

 

 

Irma Bedore

 

10.    Irma Bedore, a caçula entre as mulheres, nasceu aos 28.MAR.1949 em Lucélia/SP, onde até 19 anos trabalhou com atividades rurais no sítio da família. Estudou na Escola Estadual José Firpo de Lucélia/SP até o colegial (atual ensino médio). Mudou-se para Santo André/SP, formou-se em contabilidade e exerceu a atividades em algumas empresas, destacando-se na Torgal Vidros, onde ocupou a direção financeira. Vida relativamente itinerante, residiu em alguns bairros de Santo André, em São Bernardo do Campo, em Presidente Prudente,  em Tatuí e finalmente retornou à Santo André, todos municípios do estado de São Paulo.

 

Miro, Ivo e Irma

 

Casou-se em com Teodomiro Ferreira de Alcântara (provável ascendência imperial), nascido aos 19.DEZ.1947, na Paraíba que mudou-se para Dourados/MS ainda criança, acompanhante dos pais Antônio Ferreira de Alcântara e Antônia Mascimo e seus quatro irmãos : Narciso, Fátima, Amadeu e Maria do Socorro, onde residiu até 1970. Deixou os pais, mudando-se para Santo André/SP.

 

Vovô Miro, Samara e Douglinhas

 

Do casamento nasceram três filhos :

 

 

10.1.        Douglas Bedore de Alcantara, nasceu em São Bernardo do Campo, aos 15.MAR.1974. Converteu-se ao Cristianismo em Agosto de 1996, e experimentou o novo nascimento em 22.FEV.1997.

 

Douglas Bedore de Alcantara

 

Casou-se em 04.OUT.1997 com Selma Regina Cardoso, nascida em 30.AGO.1968, em São Paulo/SP, filha de Jether Ernesto Cardoso, pastor Metodista e Enir Mendonça.

 

Selma e Douglas

 

 

Vôo rumo à lua-de-mel

 

Ainda solteiro, Douglas teve uma filha e do casamento nasceram três filhos :

 

10.1.1.  Ágata N. Bedore de Alcantara, nasceu no hospital Neomater, em São Bernardo do Campo/SP, aos 18.ABR.1995

 

10.1.2.  Samara Cardoso Bedore de Alcantara, nasceu no hospital Pró-Matre, travessa da Av. Paulista em São Paulo/SP, aos 12.FEV.2000

 

10.1.3.  Douglas Cardoso Bedore de Alcantara, nasceu no hospital Pró-Matre, travessa da Av. Paulista em São Paulo/SP, aos 29.JUN.2001

 

10.1.4.  Camila Cardoso Bedore de Alcantara, nasceu no hospital Santa Catarina, na Av. Paulista em São Paulo/SP, aos 26.DEZ.2003

 

 

 

 

 

10.2.        Igor Bedore de Alcantara, nasceu em São Bernardo do Campo, aos 31.MAI.1980, entregou a vida à Jesus Cristo aos 12.FEV.2002, solteiro até a presente data. Especialista em relações públicas e amante dos esportes radicais.

 

Igor Bedore de Alcantara

 

 

 

10.3.        Luiz Fernando Bedore de Alcântara, nasceu em São Caetano do Sul, aos 05.NOV.1986, solteiro até a presente data, cursa e trabalha com Mecatrônica e dedica a vida ao Senhor Jesus, utilizando suas habilidades de musicista.

 

 

            Luiz Fernando Bedore de Alcantara

 

 

 

 

11.    Valter Bedor, temporão da família, nasceu em Irapuru/SP, aos 18/JUN/1953. Residente em São Roque/SP, casou-se com Maria de Lourdes, falecida aos 04.OUT.1999, com quem teve dois filhos :

11.1.        O primogênito Adalberto Bedor, nasceu em São Roque/SP, aos 99.MMM.1973, onde se estabeleceu dando continuidade ao nome da família na mesma empresa em que o pai trabalhou e vive até a presente data. Casou-se com Rosana, com que teve um casal de filhos :

11.1.1.  Gabriel, nasceu no hospital Santa Catarina, em São Roque/SP, aos 26.DEZ.2000.

11.1.2.  Giovana

11.2.        Ivo Bedor, nasceu em São Roque/SP, aos 31/JUL/1980, onde fincou raízes e vive até a presente data.  Homenageado com o nome do avô, pacato e cultivador de amizades, caracteriza-se por ser um defensor da humanidade, paixão que o tornou segurança particular de grandes celebridades. Atualmente desenvolve a função de Agente Federal.

 

Ivo Bedor em serviço

 

Casou-se em São Roque/SP, aos 30/JUN/2005 com Kamila Alves Correa, nascida em Osasco/SP, aos 30/MAR/1987.

 

Ivo Bedor e Kamila Correa

 

 

 

 

CAPÍTULO 2º

Maria Bedore

 

            Maria, nascida aos 02.MAI.1909 em Ospedaletto Euganeo.

 

 

 

CAPÍTULO 3º

Agnese Arminda Bedore

 

            Agnese Arminda, também conhecida por Ignez, nasceu aos 09.ABR.1912, em Ospedaletto Euganeo/PD.

 

 

 

CAPÍTULO 4º

Paulo Bedore

 

            Paulo Bedore, primeiro filho nascido no Brasil, aos 14.SET.1914, faleceu em Lucélia/SP em 2004, experimentou a triste perda da mãe nos primeiros dias de vida.

 

 

 

CAPÍTULO 5º

Emílio Bedore

 

            Emílio Bedore, primeiro filho da segunda esposa de Giuseppe

 

 

 

 

CAPÍTULO 6º

Arcanjo Bedore

 

 

 

 

CAPÍTULO 7º

Rifeu Bedore

 

 

 

 

CAPÍTULO 8º

Antônio Bedore

 

 

 

 

CAPÍTULO 9º

Emília Bedore

 

 

            Emília Bedore, a filha caçula de Giuseppe.

 

 

 



[1] A fim de facilitar a compreensão, uma vez que na Itália um nome próprio sempre era conservado e repetido por várias gerações numa mesma família, tal como aconteceu com a família Bedore nos séculos passados, vamos relacionar a ascendência de Ernesto e Giuseppe, ambos troncos de duas das três famílias Bedore que se estabeleceram no Brasil: ● (1) Ernesto (tronco da 2ª família Bedore que estabeleceu no Brasil) era filho de o de ● (2) Luigi, este irmão de Giuseppe (tronco da 3ª família Bedore que estabeleceu no Brasil), ambos filhos de ● (3) Giovanni Battista Bedore (*13.09.1827 + 20.02.1907), que era filho de ● (4) Giovanni Maria Bedore II (*23.10.1776 + 18.10.1852) que era filho de ● (5) Antônio Bedore (* 04.07.1746 e + já falecido em 1814), que era filho de ● (6) Giovanni Maria Bedore I (* 14.01.1710), casado com Maria Veronese, era filho de ● (7) Zoane ou Zuane Bedore II, (*08.03.1680) nome pronunciado no dialeto Veneto e que é equivalente a Giovanni, no idioma italiano e a João no nossa língua, que era filho de ● (8) Luca Bedore II (* 11.09.1650), casado com Marietta Mazucca, que era filho de ● Zuane Bedore I, (*28.08.1621) que era filho de ● (9) Vicenzo Bedore, casado com Fiori Curello aos 30.08.1598 era filho de ● (10) Lucca Bedore I. Portanto, a partir de Ernesto Bedore 1ª geração chegamos até a 10ª com Vicenzo Bedore, mais antigo Bedore na linha varonil e direta na ascendência dos Bedores descendentes de Luigi e Giuseppe.