Bedores de Ospedaletto Euganeo/PD

 

 

Vista aérea da igreja San Giovanni Battista di Ospedaletto

 

 

Ascendência e Descendência dos antepassados da família de Luigi e Giuseppe Bedore de Ospedaletto Euganeo/PD e Este

(Della Torre, via Altura, via Riva Del Fiume, via Boschetto)

 

(Começando dos mais antigos aos mais recentes)

 

Na paróquia de S.Giovanni Battista em Ospedaletto Eugano há livros de batismos a partir de 14.JAN.1586 (1º registro de batismo), casamentos a partir de 1590 e mortes também a partir do final de 1500, mas, em razão do pouco tempo disponível durante as três viagens realizadas por este autor apenas se pesquisou cerca de 80% (oitenta por cento) a 90% (noventa por cento) do livros ali existentes, todos os Bedores que encontramos eram moradores incialmente entre 1500 a aproximadamente 1900 na localidade conhecida como della torre ou na via (rua) Riva di Fiume (município de Este, embora esteja mais próximo de Ospedaletto, próxima a Torre) e posteriormente na via Altura (município de Ospedaletto, embora esteja na verdade entre os dois municípios).

Foram encontradas e transcritos cerca de 200 certidões de batismos, 50 de matrimônios e cerca de 20 de mortes somente da família Bedore.

 

Ponte della Torre

 

Entre os mais antigos membros da família Bedore encontrados nos livros pesquisados na paróquia de Ospedaletto e que não encontramos relação com a família de Vicenzo (o mais antigo Bedore da minha família), embora com certeza absoluta seja a mesma família, destacamos:

Marco Antônio Bedore ‘della Torre’ segundo sua certidão de casamento com Meneghina Calcagno, filha de Mattio, aos 21.ABR.1603, com quem teve em 10.AGO.1611 um filho de nome Giulio, esta certidão de nascimento diz ser Marco da via Altura. Também encontramos uma certidão de casamento de Anzolina, filha de Marco Bedore em 1733 casou-se com Giulio filho de Santo Permunian, a qual provavelmente possa ser descendentes do 1º Marco Antônio acima.

Gaspar e ou Gasparo Bedore que em 03.ABR.1614 também teve um filho e de nome Antônio, o qual, casou-se aos 22.MAIO.1639 com Lucia filha de Bartolomeo Millea ou Minea. Também descobrimos que Antônio casou-se com Domenica, tendo que descobrimos os seguintes filhos: Giuseppe, nascido aos 03.OUT.1650 e Ângela aos 22.SET.1669, filhos de Domecina. Também encontramos uma certidão de casamento de um tal Zuane filho de Gasparo Bedori com Agnolina, filha de Antônio Rozzin da all’altura aos 19.JUL.1645.

Também encontramos nas décadas de 1630 a 60 outros nascimentos de crianças filhas de um tal ● Francesco Bedore que em algumas certidões consta como originário ‘della Torre’ e outras da ‘via altura’ que casou-se com Lucia Magione e Marietta e são elas (crianças): Girolano ou Giacomo, nascido aos 26.NOV.1634 que casou-se em 1659 com Maria filha de Francesco Menoacia, teve que  descobrimos: Lucia, nascida aos 20.OUT.1660, Maria (irmã de Girolamo ou Giacomo) nascida aos 15.08.1641 e Franceschina aos 13.SET.1643, casada em 1663 com Francisco Menoman e uma certidão de casamento de um certo Mattio, filho de Francesco com Maria filha de Bartolomeo Panan em 1658. Encontramos também alguns filhos de um tal ● Gaspar Bedore, são elas: Vicenzo aos 24.05.1654, Cattarina aos 12.ABR.1660 e Domenica aos 06.AGO.1665. Finalmente encontramos uma certidão de casamento de um certo ● Giovanni Maria, filho de Zuane com Anzola Gastone, filha de Melchiore, em 1647, bem como encontramos uma certidão de batismo de um filho de um de Gio Maria Bedore, acima, a saber: Gio Batta aos 24.04,1649 e uma certidão de casamento de um certo Francesco Bedore filho de ● Biasio Bedore e de Zoane Panana aos 08.AGO.1672 outra de casamento de uma Cattarian Bedore, filha de Biasio com Sebastiano aos 21.MAIO.1674 e outra de casamento de um certo Zuane, filho de Biasio Bedore com Domenica, filha de Zuane Mazzo aos 09.JUL.1679.

 

Possivelmente Vicenzo, e Gaspar eram irmãos ou primos de Marco que era filho de Zuane; bem como Francesco, Gaspar, Gio Maria e Biasio, sejam filhos de Vicenzo, Marco Antônio ou de Gaspar, portanto, eram irmãos e ou primos.

 

Vejamos a seguir a ascendência e descendência da família Bedore de (1) Ernesto (tronco da 2º família que estabeleceu no Brasil), filho de (2) Luigi, este irmão de Giuseppe (tronco da 3ª família Bedore que estabeleceu no Brasil), ambos filhos de ● (3) Giovanni Battista Bedore (*13.09.1827 + 20.02.1907), que era filho de ● (4) Giovanni Maria Bedore II (*23.10.1776 + 18.10.1852) que era filho de ● (5) Antônio Bedore (* 04.07.1746 e + já falecido em 1814), que era filho de ● (6) Giovanni Maria Bedore I (* 14.01.1710), casado com Maria Veronese, era filho de ● (7) Zoane ou Zuane Bedore II, (*08.03.1680) nome pronunciado no dialeto Veneto e que é equivalente a Giovanni, no idioma italiano e a João no nossa língua, que era filho de ● (8) Luca Bedore II (* 11.09.1650), casado com Marietta Mazucca, que era filho de ● Zuane Bedore I (* 28.08.1621) que era filho de ● (9) Vicenzo Bedore, casado com Fiori Curello aos 30.08.1598 era filho de (10) Lucca Bedore I●

 

Rocca di ponte della Torre di Este, próxima a Ospedaletto

 

Descendentes de Vicenzo Bedore,

o mais antigo Bedore da minha ascendência encontrado nos arquivos pesquisados da paróquia de Ospedaletto

 

Vicenzo Bedore, nascido entre 1570 a 1580 e falecido entre 1621 a 1660 e seu pai Lucca são os mais antigos ascendentes da família Bedore encontrados na linha varonil direta da qual descende Luigi e Giuseppe (troncos de famílias no Brasil). Vicenzo Bedore casou-se com Fiori Curello, filha de Francesco aos 30.08.1598. Era natural ‘della Torre’, possivelmente da via (rua) Riva di Fiume ou outra localidade próxima ‘della Torre’, que é uma localidade entre Este e Ospedaletto, onde se encontrava um castelo medieval. Hoje este castelo ainda existe e essa localidade pertence a cidade de Este. A certidão de casamento de Vicenzo Bedore e de Fiori Curello é mais antiga certidão de um Bedore que encontramos na Paróquia de Ospedaletto Euganeo. Vicenzo como já dissemos era filho de Lucca Bedore. Teve que descobrimos:

 

Nº 01Zuana Mergina Bedore, nasceu aos 28/04/1600, é a certidão de batismo mais antiga de um membro da família Bedore encontrada na Paróquia de Ospedaletto que encontramos;

Nº 02 Silvestro Bedore, nasceu aos 09.01.1603;

Nº 03 Matio Bedore, nasceu aos 23.02.1607;

Nº 04 Anzola Bedore, nasceu aos 10.03.1617;

Nº 05 Zuane Bedore I, nasceu aos 28.08.1621 (pai de Luca, a seguir).

 

Vejamos a seguir a descendência dos filhos de Vicenzo acima, começando pelos irmãos de Zuane Bedore I:

 

Nº 02 Sivestro (filho de Vicenzo), nascido aos 09.01.1603, casou-se aos 06.02.1639 com Isabella, filha de Orfeo Pastori, ele, segundo a certidão de casamento era residente na via Altura e ela ‘alla rione del fiume sotto la chiese di Santa Tecla’ teve que descobrimos:

2.1.Antonia, nascida aos 02.02.1640 e

2.2. Zoana, nascida aos 22.06.1652.

 

Nº 03 Mattio (filho de Vicenzo) casou-se Giulia ‘della Torre’, nascido aos 23.02.1607 casou-se 1ª vez com Giulia ‘della Torre’ 2ª vez com Giustina e 3ª vez com Mariana Panana (?). Mattio segundo a certidão de casamento de uma de suas filhas era proveniente ‘della Torre. Teve que descobrimos:

2.1.Vicenzo, nascido aos 31.01.1634;

2.2 Domenico, nascido aos 30.05.1643, casou-se com Anzolina Pastora. Teve que descobrimos:

3.1.Mattio, nascido aos 27.08.1666;

3.2.Marco Antônio, nascido aos 07.07.1669, teve que descobrimos:

4.1. Giacomo, nascido aos 22.05.1719;

4.2. Anzolina, filha de Marco Bedore em 1733 casou-se com Giulio filho de Santo Permunian

3.3. Giulia, nascida aos 18.07.1671;

3.4. Mattio, nascido 11.09.1673 (filho de Ângela Cassetta ?) casado com Pasqua Toffana, com quem teve:

4.1 Domenico, nascido aos 06.4.1704, casado em 1ª núpcias com Maddalena Della Veiga e 2ª vez com Pasqua Genova ou Pasqua Zanara, teve que descobrimos:

 

5.1. Domenica, nascida aos 12 ou 22.06.1701;

5.2. Lucia, nascida aos 12.03.1704;

5.3. Margarita, nascida aos 24.02.1710;

5.4. Domenico, nascido aos 30.03.1712 e

5.5. Santa, nascida aos 16.04.1715.

5.6. Matteo, nascido aos 11.08.1720, provável pai de:

6.1. Maria, nasscida em 1760 e falecida aos 04.02.1830.

6.2. Margherita que aos 01.02.1768 casou-se com Biaggio, filho de Antônio Durello;

6.3. Maddalena que aos 23.11.1775 casou-se com Domenico Piombim;

4.2. Catterina, nascida aos 27.06.1716

3.5. Lucia, nascida aos 18.09.1678.

Também descobrimos um certo Bartolo filho de Domenico que teve com Giuseffina Capuzo os seguites filhos:

 

3.1.Andréa, nascido aos 25.02.1730, que teve:

4.1.Catterina, nascida aos 20.04.1759

3.2. Maria Maddalena nascida aos 12.05.1734;

3.3.Maddalena e 4.4. Paula (gemes), nascidas aos 14.01.1738;

3.5. Domenico, nascido aos 25.08.1739 que teve com Domenica Bianchi:

4.1.Bartolo, nascido aos 07.06.1770;

3.6. Paulina, nascido aos 07.(?).1741;

3.7. Francesco, nascido aos 09.06.1743 e já se encontrava falecido em 1834, casou-se com Paola Vendramini, filha de Giacomo, aos 30.09.1792, teve os seguintes fihos, que descobrimos:

4.1 Giuseppe, nascido aos 18.12.1794;

4.2. Giuseppina, nascida aos 06.02.1796;

4.3. Maria Tereza, nascida aos 11.11.1797;

4.4. Antonia, nascida aos 05.08.1800;

4.5. Antônio, nascido aos 23.07.1803 casou-se com Antonia Pasqualetto e teve que descobrimos:

5.1.Giovanni Batistta, nascido aos 15.03.1834 e falecido aos 13.12.1857, casou-se com Maria Durello aos 18.02.1857;

5.2. Domenico Gio Batta, nascido aos 20.07.1834 (morreu em seguida)

5.3. Santa, nascida aos 12.04.1838 e falecida aos 28.06.1910.

5.4. Fidenzio[1], nascido aos 24.05.1841 casou-se com Catterina Trova ou Trovò[2], nascida aos 19.08.1841, filha de Domenico Trovò e de Tereza Girardi, aos 28.02.1865 em Este, teve que descobrimos:

6.1. Maria Bedore, nascida em 1869 e falecida aos 01.10.1943 ou 49 está sepultada em Ospedaletto. Foi casada com Santo Marigo, teve que descobrimos:

7.1. Ivo Marigo, nascido aos 19.01.1897 e falecido aos 29.11.1967 (Esta família também está sepultada no cemitério de Ospedaletto Euganeo).

6.2. Pietro Bedore, nascido aos 20.11.1872 e falecido aos 26.08.1948, casou-se aos 12.02.1896 com Giuseppa Moro. Teve que descobrimos:

7.1. Sante Luigi, nascido aos 31.10.1896 e falecido aos 10.11.1896;

7.2. Maria, nascida aos 25.05.1898, casou-se aos 13.03.1920 com Domenico Turrato;

7.3. Luigi, nascido aos 22.01.1900;

7.4. Ligia Pierina, nascida aos 28.01.1901, casou-se aos 16.09.1922 com Eugenio Brandole;

7.5. Erminio, nascido aos 28.07.1903, casou-se com Ida Conte, teve q.d.:

8.1. Giammaria Giuseffina, nascida aos 19.02.1929;

7.6. Emília, nascida aos 22.03.1905 e falecida aos 27.03.1905.

7.7. Alba, nascida aos 25.05.1906, casou-se aos 21.02.1927 com Luigi Ragona;

7.8. Igino, nascido aos 21.10.1907 casou-se com Gasparina Rossetto. Teve que descobrimos:

8.1. Lino, nascido aos 03.10.1933, já falecido.

8.2. Pietro, nascido aos  29.11.1919. Teve:

9.1. Emanuela Beedore casada com Maria Renzo Palazzo, nascida em Pavia aos 29.12.1959.

 

8.3. Beppino, nascido aos 18.03.1931 e falecido aos 17.11.1980 e sepultado em Ospedaletto. Foi casado com Giuditta Valandro.

8.4. Attiglio Bedore, residente em Arma di Taggia – Imperia.

8.5. Anna Bedore, residente em Torino.

8.6. Bruna Bedore, residente em Bottigliera Alta – Torino.

8.7. Agnese Bedore, residente em Biella.

8.3. Nello Bedore, residente na França.

5.5 Maria Tereza, nascida aos 19.05.1844

5.6. Luigi Bedore, nascido aos 05.07.1859 casou-se com Stella Gagozziolo aos 21.05.1888 ou Celeste Marola. Teve que descobrimos:

6.1. Antonio Ângelo, nascido aos 03.05.1889, casou-se aos 03.02.1912 com Elvira Miola e

6.2. Stella, nascida aos 10.12.1890, casou-se aos 28.01.1914 com Augusto Marola

3.8. Giovanni, nascido aos 15.01.1744.

 

Também descobrimos filhos de um certo Matteo, filho de Bartolo ou Bartolomeo. Esse Matteo casou-se com Maria Bagna e teve: 1) Tereza, nascida aos 18.10.1768, 2) Santina, nascida aos 10.12.1765, 3) Maria Francesca, nascida aos 27.06.1772 e 4) Antônio, nascido aos 02.08.1774, casou-se 1ª vez com Giuseppa Pegararo e 2º vez com Santa Pasqualeto, viúva de Antônio Greggio aos.19.04.1819.

 

Com a 2ª esposa, Gisutina, Mattio Nº 3 acima,  teve:

2.3. Giustina, nascida aos 02.05.1649 e casada aos 23.02.1672 com domenico;

Com a 3ª esposa Mariana Mattio teve:

2.4. Anna, nascida aos 24.10.1662;

2.5. Francesco, nascido aos 06.07.1668 casou-se Lucia Bedora, cujo sobrenome, curiosamente é bem parecido com Bedore, teve que descobrimos:

 

3.1. Maria, nascida aos 16.11.1701 ou 16.10.1702

3.2. Anzola, nascida no mês 11 de 1703;

3.3. Matteo, nascido aos 21.09.1704, teve com Anna, filha de Pietro Massieiro dois filhos e com sua provável 2º esposa Elena Broggio, filha de Sebastiano Broggio, mais cinco filhos, são eles:

4.1. Agnese, nascida aos 12.02.1740, casou-s aos 29.06.1769 com Marco Antônio Bianchi, filho de Domenico;

4.2. Margarita, nascida aos 21.05.1742;

4.3. Giuseppe, nascido aos 18.03.1747;

4.4. Agnese, nascida aos 26.08.1748;

4.5. Beatrice, nascida aos 15.04.1750;

4.6. Francesco, nascido aos 06.07.1752, casado 1ª vez com Chiara Galana e 2º vez com Mariana Zanoni, filha de Giuseppe e de Cattarina aos 18.12.1781 em Este/PD (Santa Tecla).

4.7. Maria, nascida aos 01.04.1757

3.4. Paola, nascia aos (?).01.1705;

3.5. Massima ou Mariana, nascida aos 10.04.1707;

3.6. Ângela, nascida aos 03.10.1709;

3.7. Maddalena, nascida aos 05.04.1714

3.8. Anna Maria, nascida aos 16.04.1715

3.9. Ângela, nascida aos 06.03.1717;

3.10. Lugrezia, nascida aos 17.03.1719.

 

Também encontramos um Francesco Bedore que não sabemos se tratar do homônimo acima teve que descobrimos: Luca que casou-se com Maria filha de Bartolo Trentin e teve que descobrimos: Cattarina, nascida aos 26.03.1732 e outra filha de nome Lugrezia nascida em 1738 filha de Francesco e de Maria filha de Pietro Centrin; Encontramos também duas certidões de casamento: uma de Maria Bedore filha de Francesco Bedore e de Antonia Marini que casou-se aos 27.09.1759 com Giovanni Capuzzo, filho de Ângelo Capuzzo, outra de Domenica Bedore filha de Francesco que casou-se aos 05.02.1762 com Domenico De Santi, filho de Steffano.

 

2.6. Domenico, nascido aos 27.05.1674.

 

Também encontramos um certo Matteo, filho de Mattia, que acreditamos ser um dos filhos de Mattia Nº 03, o qual teve com Pasqua Gregio filha de Francesco dois filhos e com sua provável 2ª esposa, Mariana Parolo ou Pedrolo, que descobrimos:

 

3.1. Rosa, nascida aos 27.09.1803;

3.2.Maria Tereza, nascida aos 12.04.1805, falecida aos 27.06.1855;

3.3 Matteo, nascido aos 21.09.1806[3];

3.4. Domenica, nascida aos 16.11.1807 e

3.5. Rosa, nascida aos 10.09.1810, casou-se aos 18.09.1847 com Pietro Rossato ou Boassato. Matteo Bedore II, casou-se pela 3ª vez com Domenica Mupolin ou Anpolin aos 22.01.1823.

 

Rocca di ponte della Torre di Este

 

Descendente de Zuane Bedore I

 

Zuane Bedore I, nasceu aos 25.08.1621 e faleceu entre 1675 a 1700, número 5) acima. Descobrimos o nome de 04 (quatro) mulheres nas certidões de batismo dos filhos de Zuane. São elas Lucia, mãe de Luca e Margherita; Anzola , nome Veneto de Angela, mãe de Domenico e Cattarina Mazza, mãe de Antônio e Vicenzo. São duas hipóteses que podem explicar este fato: 1ª Ou Zuane casou-se três vezes, ou são três ou dois Zuanes e, portanto os citados abaixo não são irmãos. Portanto descende de Zuane que descobrimos:

 

Nº 01 Luca Bedore, nascido aos 11.09.1650 (pai de Zuane Bedore II a seguir);

Nº 02 Margherita Bedore nascida aos 06.01.1658;

Nº 03 Domenico Bedore, nascido aos 05.03.1665;

Nº 04 Antônio Bedore, nascido aos 22.04.1666

Nº 05 Vicenzo, nascido aos 27.03.1675 casou-se com Lucia Ricarda ou Rinaldo.Teve que descobrimos:

 

1.1. Antonia, nascida aos 15.06.1702.

1.2. Silvestro, nascido aos 04 ou 24.10.1700.

1.3. Domenico, nascido aos 04.11.1703.

 

 

Também encontramos outro Zuane Bedore na década de 1670 que não sabemos se tratar do mesmo Zuane acima, este Zuane Bedore casou-se com Zuana Stevanella e teve que descobrimos: Giacomo, nascido aos 25.07.1772, Domencia, nascida aos 20.05.1674 e Anzola, nascida aos 16.04.1678. Encontramos uma certa Maria, filha de Zuane casada em 1710 com Antônio de Picccoli, que pode ser também filha de Zuane acima ou de outro Zuane. Também encontramos uma certidão de batismo de uma certaMaria, nascia em (...) de 1666 filha de Zuane Bedori e Domenica sua mulher.

 

Descendente de Luca Bedore

 

Luca Bedore nasceu aos 11.09.1650 e faleceu entre 1680 a 1730 e foi casado em 1ª núpcias com Marietta Mazucca ou Mazuccio aos 21.05.1676, tiveram que descobrimos:

 

Nº 01 .Zuane Bedore II, nascido aos 08.03.1680, filho de Marietta Mazzuca (pai de Giovanni Maria I ver a seguir)

 

Descobrimos uma certidão de casamento de Giovanni Battista, filho de Francesco Bedore, filho de Luca della riva del fiume com Agnese Zoretta aos 08.04.1726. Acreditamos que Francesco Bedore pai de Giovanni possa ser também filho de Luca

 

Também encontramos um certo Matteo filho de Francesco Bedore, filho de Luca e de Agnese Zoruta ou Zoretta, nascido aos 26.03.1712, não sabemos se é este Matteo ou se é o nascido em 1704 filho de outro Francesco que era filho de Mattio Nº 03 que deixou os filhos lá descritos, ver retro.

Também encontramos um Francesco Bedore que não sabemos se tratar do homônimo acima, teve que descobrimos:

1.1. Luca que casou-se com Maria filha de Bartolo Trentin e teve que descobrimos:

2.1. Cattarina, nascida aos 26.03.1732.

2.2. Lugrezia nascida em 1738 filha de Francesco e de Maria filha de Pietro Centrin;

Encontramos também duas certidões de casamento: uma de Maria Bedore filha de Francesco Bedore e de Antonia Marini que casou-se aos 27.09.1759 com Giovanni Capuzzo, filho de Ângelo Capuzzo, outra de Domenica Bedore filha de Francesco que casou-se aos 05.02.1762 com Domenico De Santi, filho de Steffano.

 

Descendentes de Zuane Bedore II

 

Zuane Bedore II, cujo nome é típico da região de Veneto e é equivalente a Giovanni em italiano e João em Português. nasceu aos 08.03.1680, foi casado 1ª vez com Marietta Barbiere ou Barbiera e 2º vez com aos 07.06.1713 com Lucia Fassona ou Bartias. É filho de Luca Bedore e de Marietta Mazucca. Faleceu entre 1718 a 1731. Descende que descobimos:

 

Filhos de Marieta Barbiere, Barbiera e ou Barbiana:

 

Nº 01 Maria, nascida aos 05.05.1706;

Nº 02 Giovanni Maria Bedore I, nascido aos 14.01.1710, casado com Maria Veronese (pai de Antônio Bedore, a seguir);

Nº 03 Domenica, nascida aos 18.06.1714;

Nº 04 Gisutina, nascida aos 26.12. 1716;

 

Nº 05 Zuane, nascida aos 11.03.171(?);

 

Filhos de Lucia Fassona ou Bartias:

 

Nº 06 Paola, nascida aos 22.05.1714;

Nº 07 Zuana, nascida aos 26.06.1718

 

Também encontramos os seguintes filhos de um certo Zuane Bedore e de Domenica Bonata, que não acreditamos que seja o mesmo Zuane Bedore pai de Giovanni Maria pelo nascimento de seu último filho (Zuane) que nasceu em 1710, ano em quem Zuane, pai de Gio Maria I já se encontrava casado com Marietta Barbiere:

 

Nº 01 Maria, nascida em 1700;

Nº 02 Maria, nascida aos 05.04.1701;

Nº 03 Francesco, nascido aos 16.07.1702;

Nº 04 Francesco, nascido aos 14.02.1704 casou-se aos 30.04.1726 com Cattarina Strevanello ou Stevanello, teve que descobrimos:

1.1. Ana Maria, nascida aos 03.(?).1729;

1.2. Giovanna, nascida aos 25.06.1732;

1.3. Domenica, nascida aos 14.05.1735

1.4. Domenica, nascida aos 13.05.1740;

1.5. Giovanni, nascido aos 07.10.1743.,

 

Nº 05 Domenico, nascido aos 25.02.1705;

Nº 06 Zuane, nascido aos 13.03.1710;

Nº 07 Maria, nascida aos 04.06.1714 (filha de Domenica Pavana)

 

Encontramos também duas certidões de casamento: uma de Maria Bedore filha de Francesco Bedore e de Antonia Marini que casou-se aos 27.09.1759 com Giovanni Capuzzo, filho de Ângelo Capuzzo, outra de Domenica Bedore filha de Francesco que casou-se aos 05.02.1762 com Domenico De Santi, filho de Steffano.

 

Descendentes de Giovanni Maria I

 

Giovanni Maria Bedore I nasceu aos 14.01.1710, casou-se aos 23.01.1731 com Maria Veronese, filha de Domenico Veronese .Do casal Giovanni Maria I e Maria Veronese, descendem que descobrimos:

 

Nº 01 Ana Maria, nascida aos 21.(?).1731;

Nº 02 Luca, nascido aos 15.01.1736;

Nº 03 Antonia, nascida aos 21.09.1738;

Nº 04 Cattarina, nascida aos 01.05.1741;

Nº 05 Gioconda, nascida aos 16.09.1743;

Nº 06 Nadale, nascido aos 24.12.1744;

Nº 07 Antônio, nascido aos 04.JUL.1746 (pai de Giovanni Maria II a seguir)

Nº 08 Santo, nascido aos 17.02.1750;

Nº 09 Domenico, nascido aos 17.07.1753;

Nº 10 Giovanna, nascida aos 01.04.1757.

 

 

 

 

Descendentes de Antônio Bedore

 

Antônio Bedore, nascido em 04.JUL.1746 em Ospedaletto Euganeo era filho de Giovanni Maria Bedore I (primeiro filho de Zuanne Bedore acima). Gio Maria I casou-se com Ângela Bontà entre 1760 a 1770. Faleceu entre 1779 a 1814, teve que descobimos:

 

Nº 01 Catterina, nascida aos 20.10.1770;

Nº 02 Giovanna, nascida aos 10.10.1773;

Nº 03 Giovanni Maria Bedore II, (pai de Giovanni Battista Bedore que é pai de Luigi e Giuseppe, ver a seguir).

Nº 04 Margherita, nascida aos 14.10.1779;

Nº 05 Santa, nascida aos 14.10.1779 e felecida aos 05.01.1858 com 74 anos de idade.

 

Descendentes de Giovanni Maria Bedore II

(Pai de Giovanni Battista Bedore)

 

Giovanni Maria “Gio Maria” Bedore II nascido aos 23.10.1776 e falecido aos 18.10.1852 em Ospedaletto Euganeo com 76 anos de idade. Casou-se aos 11.10.1814 com Lucia Pavanello, nascida aos 14.05.1779 em Ospedaletto, filha de Giuseppe ou Ângelo Pavanello e de Francesca Mazucca Ospedaletto (avós paternos de Luigi Bedore) descobrimos os seguintes filhos e netos, todos nascidos em Ospedalleto Euganeo:

 

Nº 01Catterina Bedore, nascida aos 14.09.1815, casou-se aos 21.02.1838 com Giacinto Salvan, pode ser o ascendente de Carlo Salvan que se casou com uma descendente da família Basso (ver Título Basso).

Nº 02 Giovanni Battista Bedore “Gio Batta”, nascido aos 13.09.1827 (pai de Luigi e Giuseppe, ambos imigrantes italianos)

Nº 03 Felice Bedore, nascido aos 06.05.1833 e falecido logo após o nascimento.

Nº 04 Antônio Bedore, nascido em 1822 e falecido aos 23.05.1874 na via Altura, casado com Stella Braggiolo ou Bagagiola em 1852 em Montagnaro, teve que descobrimos:

1.1. Maria Giovanna, nascida aos 22.11.1853;

1.2. Giuseppe, nascido aos 09.11.1854;

1.3. Carolina Tereza, nascida aos 04.08.1855;

1.4. Giuseppe II, nascido aos 01.09.1857 e falecido em 08.09.1857,

1.5. Luigi, nascido em 1859,

1.6. Gio Maria, nascido aos 31.05.1866 e falecido aos 08.10.1866.

Nº 05 Battista Bedore, casado com Antonia Bresan, teve que descobrimos: Fortunata, nascida aos 08.01.1851, falecida logo após o nascimento, Regina Cattarina, nascida aos 06.07.1852.

 

Descendentes de Giovanni Battista Bedore

(Pai de Luigi e Giuseppe – Troncos de famílias Bedore do Brasil)

 

Descendem de Giovanni Battista Bedore “Gio Batta”, nascido aos 13.09.1827, falecido aos 20.02.1907 e casado aos 24.07.1815. Gio Batta morava em via Altura, em Ospedaletto Euganeo/PD, os seguintes filhos e netos, todos nascidos em Osdpedaletto. Com a primeira esposa, Antonia Moretti (mãe de Luigi):

 

Nº 01Mariana Bedore, nascida aos 14.04.1856.

Nº 02 Luigi Bedore I (ver retro, biografia e descendência), nascido aos 10.09.1858. (Mais antigo membro da família biografado. Primeiro Bedore que imigrou para o Brasil e pai do tronco da 2ª família Bedore que se estabeleceu no Brasil – Ernesto Bedore – ver retro biografia e descendência  Luigi Bedore era irmão de Giuseppe Bedore, tronco da 3ª família que se estabeleceu no Brasil).

 

Com a segunda esposa Anna Crivellaro, nascida em Este aos 26.04.1842, filha de Giuseppe Crivellaro e de Antonia Rubin com quem se casou aos 15.05.1864 (mãe de Giuseppe):

 

Nº 03 Giacinto Bartolomeo Bedore, nascido aos 09.09.1865 em Ospedaletto e aí falecido aos 01.09.1935 com 70 anos. Casou-se com Vitória Giona em Barone/PD em 1902, teve que descobrimos:

 

1.1. Ida Amália, nascida aos 09.04.1904 e falecida aos 08.09.1905;

1.2. Ugo, nascido aos 10.07.1905, casou-se com Maria Peraro aos 28.01.1933 em Ospedaletto, falecido aos 05.02.1976 em Ospedaletto onde encontra-se sepultado, foi casado com Maria Peraro, com quem teve: Massima Bedore, nascida aos 10.0.1934 em Este e após a morte de sues pais mudou-se para padova. Esta família (a de Ugo) foi a última família cujo homem era um Bedore que viveu em Ospedaletto Euganeo.

Giacinto Bartolomeo Bedore, casou-se em 2ª núpcias com Elena Rosina, com quem teve:

 

1.3. Giovanni, nascido aos 03.03.1908, falecido aos 14.07.1908 na via Boschetto;

1.4. Ida Maria, nascida aos 19.09.1909 e falecida  aos 19.12.1909;

1.5. Carmela, nascida aos 04.04.1911, casou-se com Antônio Venturello em 30.11.1955 em Ospedaletto. Carmela Bedore Venturello faleceu aos 08.10.1996 em Ospedaletto e é uma dos quatro membros da família Bedore sepultados na atualidade no cemitério Municipal de Ospedaletto Euganeo;

1.6. Placido, nascido aos 12.11.1913, ainda vivia em agosto de 2001 em Rivoli, Província de Tório no Piemonte;

1.7. Maria, nascida aos 03.02.1918, logo após o nascimento.

1.8. Maria II, nascida aos 12.05.1919.

 

Nº 04 Luigi Bedore II, nascido aos 16.01.1867 e falecido aos 08.02.1867;

Nº 05 Rosa Domenica Bedore, nascida aos 14.04.1868 e falecida aos 30.04.1874;

Nº 06 Antônio Bedore, nascido aos 10.02.1875, casou-se em 1ª núpcias com Dagilla Rinaldo, teve que descobrimos:

1.1. Achile, nascido aos 28.06.1911;

1.2. Bruno, nascido aos 02.05.1915.

Antônio Bedore casou-se em 2ª núpcias com Giuseppa Ermínia Bazan aos 03.12.1925 em Este/PD.

Nº 07 Francesco Antônio Bedore, nascido aos 18.04.1878. Casou-se em 1º núpcias com Celeste Movaldi e em 2ª núpcias aos 26.04.1919 com Ermínia Zanin. Teve que descobrimos:

1.1. Joel Lugia, nascida aos 15.06.1925.

Nº 08 Giuseppe Antônio Bedore, também imigrou para o Brasil, nascido aos 25.05.1880 em Ospedaletto, casou-se em Sant’Margarita D’Adige/PD em 1905 com Emília Brogin com quem teve:

1.1.            Ivo, nascido aos 16.04.1907 e falecido em Adamantina/SP, em 1990 aproximadamente;

1.2.            Maria, nascida aos 02.05.1909 e

1.3.            Agnese Arminda, nascida 09.04.1912.

1.4.            Paulo Bedore, primeiro nascido no Brasil aos 14.09.1914 e falecido em 2004 em Lucélia/SP

1.5.            Emílio Bedore

1.6.            Arcanjo Bedore

1.7.            Alfeu Bedore

1.8.            Antônio Bedore

1.9.            Emília Bedore

 

Nº 09 Maria, falecida aos 17.04.1882 em via Boschetto.

Nº 10 Augusta Maria Bedore, nascida aos 07.05.1887.

 

Todos os filhos de Giuseppe nasceram em Ospedaletto Euganeo. Giuseppe Bedore e sua esposa Emilia Brogin imigraram para o Brasil em abril de 1914, estabelecendo-se inicialmente em Nova América e posteriormente em Itápolis/SP. Giuseppe, após a morte de sua esposa aos 12.09.1914, ocorrida cinco meses após a imigração e no parto de seu quarto filho, Paulo (vivo em junho de 2001, residente em Lucélia/SP) casou-se pela segunda vez e teve mais cinco filhos: Emílio, Arcanjo (vivo em junho de 2001), Alfeu, Antônio e Emília, os quais deixaram grande descendência em várias cidades do Estado de São Paulo. Faleceu Giuseppe Bedore aos 15.03.1972 em Itápolis/SP com quase 92 anos de idade. Giuseppe Antônio Bedore È o tronco da terceira família Bedore que se estabeleceu no Brasil.

 

● Além dos quatro membros da família Bedore cujos túmulos foram encontrados em Ospedaletto Eugano (Maria, Beppino, Ugo e Carmella) também encontramos o túmulo de Marcelina Bedore viúva de Zanin, nascida aos 18.04.1901 e falecida aos 09.08.1991 cuja ascendência não conseguimos.

 

● Portanto, ao consultarmos cerca de 80% a 90% de todas as certidões de batismos, casamentos e óbitos da paróquia de São João Batista (San Giovanni Battista) de Bedores, concluímos que essa família morou durante quatro séculos de 1500 a 1900 aproximadamente, em sua maioria no território de Ospedaletto Euganeo, nas localidades de: I) Della Torre e via Riva di Fiume (Este) e Via Altura (Ospedaletto), localidades entre Este e Ospedaletto e II) Tresto e Palugana, “distritos” (frazioni) entre Ospedaletto e Ponso. Os territórios dessas três cidades (Este, Ospedaletto e Ponso) somados possuem apenas 63 Km 2 (Ospedaletto 21 Km2, Poso 10 Km2 e Este 32 Km2), ou seja transportado a realidade da maioria dos territórios brasileiros, os municípios, seriam no Brasil, um único e pequeno Município, exemplificando, o território de Atibaia/SP (491 km2) representaria a sete vezes, mais 50 km2 o território de Este, Ospedaletto e Ponso juntos (63 km2).

 

LEAD Technologies Inc. V1.01

mapa de quase todo o pequeno Município de Ospedaletto Euganeo

 

BREVE CONSIDERAÇÃO SOBRE A POPULAÇÃO, LOCALIZAÇÃO E HISTÓRIA DE OSPEDALETTO EUGANEO/PD

 

Em 31.MAIO.1998 o município de Ospedaletto Euganeo contava com 5.149 habitantes,dos quis cerca de 3.902 residem no perímetro urbano; os demais se distribuiem entre os distritos de Palugana, Santa Croce, Tresto e Vallaancon. O Mnicípio se estende numa área de 21.41 Km2 (Atibaia tem 491 Km2, ou seja, Atibaia tem seu território quase duzentos e cinqüenta vezes o território de Ospedaletto Euganeo).

A pequena cidade de ospedaletto Euganeo se situa a 35Km de Padova, acapital da proivíncia, ao sopé dos Colli Euganei (Colinas Eugâneas). Ospedaletto pertence a região de Este (também podemos encontrar referências as regiões de Eugania ou Baixa Padovana) e a Provincia de Pádua (Padova). Traços de antigos vestígios pré-históricos encontrados em Palugana e em Dossi atestam que o território do município foi habitado por populações paleo-vênetas. As terras então coupadas pelos romanos que as dividiram em centúrias e as asseguraram aos vetereranos da batalha de Azio. Os arqueólogos asseguram a existência de algumas estradas, provavelmente construídas à partir do século I a.c em particular as que estão situadas nos distritos de Tresti e Palugana (onde encontramos no mapa anterior uma casa pertencente a um Bedore), onde passava a estrada que ligava Este aos veroneses. A tomonímia de muitos locais dessa região parece indicar a existência de pântanos. O nome Palugana, apsear de ter uma etimologia dúbia, indica seguramente um pântano: sinal de que os trabalhos dos romanos em defesa dos campos e estrada foram abandonados nos séculos seguintes. O território se despovoou, os campos foram abandonados e as florestas cresceram. O renascimento começou durante a Alta Idade Média: as terras viraram rota de viajantes que se dirigiram aos locais de culto (Roma, a Terra Santa ou Santiago de Compostela) e que necessitavam de locais de pousada e descanso (engraçado como nesse ponto Ospedaletto e Atibaia, têm semelhanças, pois Atibaia também fora rota de viajantes ‘bandeirantes’ que se dirigiam as Minas Gerais a procura de ouro).

Para tanto, o rico Inchelbaldo doou ao bispo de Padova (Pádua) um terreno numa localidade chamada Rotta di Sândalo, com a finalidade de se construiri um hospital dedicado a San Giacomo e confiado aos monges “ospedalieri” em 1162. Por mais de um século o vilarejo que se formava em torno do hospital foi chamado de “San Iacopo de Hospitaleto”, em homenagem ao santo padroeiro dos peregrenos. Ao final do século 12 foi construída uma segunda igreja dedicada a San Giovanni Battista (São João Batista como Atibaia que já foi chamada de São João Batista de Atibaia), que substituiu a premeira dedicada a San Giacomo, arruinada e em desuso. A partir de então a localidade é citada como “San Giovanni Battista di Hospitaleto” ou simplesmente “Hospitaleto”. Também a outra tese sobre o surgimento de Ospiedaletto que diz que ainda no século XIII,o local que antigamente abrigava o Hospitale Sancti Jacobi de rupta foi abandonado e a pouco de distância, éerigido outro pequeno hospitale, dedicado a San Giovanni Battista. Em torno dessa nova hospedagem cresce a povoação que comparece nos cocumentos da época como Hospitaletto, talves por suas dimensões reduzidas. O nome conserva, hoje, a forma típica da língua veneziana ou dos dialetos vênetos, Ospedaletto.

A primeira notícia documentada sobre a localidade remonta ao ano de 1221; o texto cita o Hospitale Sancti Jacobi de rupta (hospedaria de São Tiago da ruptura,lembrando uma inundação ocorrida pela ruptura de um dique natural, talvez do riacho Guà). Eram chamados de hospitale, no perídodo medieval, as hoispedarias, as casas que acolhiam viandantes, pregrinos, refugiados. jantes

Somente após a unificação italiana a cidade muda de nome, assumindo o nome atual de Ospedaletto Euganeo. A denominação da cidade era Ospedaletto até 11.AGO.1867,data em que o Decreto Real nº 3886 lhe acrescentou a especificação Euganeo. A especificação recorda os eugãneos,povo que babitava a área na época da consquista romana (séc.III a.C), como o historiador Titus Livius (58 aC. – 17 d C) recorda, em sua obra Ab Urbe Condita: “ Euganeisque, qui inter maré Alpesque incolebant...” ( e os Eugâneos que habitavam entre o mar e os Alpes)

Os acontecimentos históricos de Ospedaletto seguiram os destinos das vilas da Baixada Padovana: rota de tropas de estense, ezzelianas, scaliageras e carraresas, primeira de confluir no vasto império da República de Veneza, plea Liga de Cambray, com a conquista de Napoleão e a chegada dos austríacos. O município tem baseado tradicionalmente a economia na agricultura. A atual rodovia nacional, que praticamente divide a vila em dois, marca os limites entre a zona setentrional (ao norte), dedicada a atividade rural e a zona meridional (ao sul, onde moraram os Bedore), habitada a séculos por artesões e carpinteiros.

No centro está situada a zona industrial, com negócios e serviços. O antigo ritmo de vida tranqüilo da vida rural alterou-se após a II Guerra Mundial, com a chegada do progresso: os edifícios mudam de aspecto e de funçãoe as estradas se modernizam. Os distritos são bem iluminados e interligados. Desaparecem os caminhos estreitos, os pântanos são drenados, e os campos são trabalhados com muitas máquinas. Os tetos das casas não mais são feitos com palha. Tudo émudado, assumindo um ritmo novo: os antigos instrumentos agrículas desaparecem, os poços são agora usados para embelezar os jardins das casas. Da antiga vida rural permanecem apenas as histórias de uns poucos que ainda se recordam: o sabor dos pratos simples e gostosos, agora encontrados nas festas tradicionais.

 

LEAD Technologies Inc. V1.01

embora pouco legível, a área destacada, corresponde ao sul do território de Ospedaletto, quase divisa do Município de Ponso e mostra uma casa que entre 1890 a 1953 pertenceu a família Bedore

 

Através do mapa acima inserido na obra Ponso Pima della Memória e nella Memória, de 1996 de diversos autores, podemos obsrevar a existência de uma casa da família Bedore no sul do território de Ospedaletto Euganeo próxima as localidades de Tresto e Palugana, bem próxima a vizinha cidade de Ponso. Nesta obra está reproduzido o mesmo mapa nos anos de 1890, 1911, 1924, 1935 e 1953 e em todos eles verificamos uma casa que pelo menos até 1953 pertenceu a família Bedore, todovia não a visitei em razão de não ter conhecimento da mesma na época que lá estive.

 

Mapa parcial do território de Este. No sul e na extrema esquerda encontra-se a localidade chamada Della Torre (entre os dois rios), bem próxima a divisa dos Municípios de Este e de Ospedaletto, onde vivia a família BEDORE

 

 

A região da Província de Padova destacada nos mapas a seguir, é conhecida como EUGANIA ou baixa padovana e compreende entre outras cidades (Comuni): Este, Ospedaletto Euganeo, Ponso, Piacenza D’Adige, Santa Margherita D’adige, Albignasego, Due Carrare (onde hoje encontram-se Bedores), Battaglia Terme, Arquà Petrarca, Galzignano, Valsanzibio, Monselice, S. Elena, Villa Estense, Carceri, Lozzo Atestino, Cinto Euganeo, La Scodosia, Montagnana, Vighizzolo, La Scodosia, S.Urbano, Barbona Vescovana, Granze, Stanghella, Baone, Urbana, Noara Pisani.

 

LEAD Technologies Inc. V1.01

nesse mapa observa-se acima em destaque a região chamada de Baixa Padovana ou Eugania, abaixo em destaque no mapa da Itália a região do Vento destacano-se a cidade de Padova e a direita a Província de Padova,destacando-se a região de Eugania

 

Várias famílias oriundas da região chamada de baixa Padovana (mapa acima), estabeleceram-se em Atibaia, minha terra natal, entre elas podemos destacar:

 

Família Bedore de Ospedaletto Euganeo, mais precisamente da localidade conhecida como Della Torre ou simplesmente Torre que fica entre Este e Ospedaletto Euganeo, descendente de Ernesto Bedore e de Virgina Basso que de Getulina, São Paulo e Cambui/MG passou através de Oscar Bedore para Atibaia em 1964, portanto, há 40 anos.

Família Rosa de Ospedaletto Euganeo/PD, descendente de Santo Rosa (1877-1944) em Atibaia desde 1890. Santo Rosa e seu irmão Giovanni que retornou para Itália foram proprietários da famosa Casa Rosa no largo da Matriz de Atibaia durante muitos anos (até 1976).

Família Milanello de Ponso/PD, descendente de Luigi Milanello e de Giuseppa Butarello em Atibaia desde 1897.

Família Girardi, aqui tratada como Giraldi de Santa Margherita D’Adige.

Família Pinzan de Santa Margherita D’Adige, descendente de Augusto Pinzan e de Elvira Brogin. Augusto Pinzan era cunhado de Santo Rosa acima.

Família Ferro de Santa Margherita D’Adige, descendente de Sante Ferro e de Margarida Chiodini.

Família Bragion da Província de Padova, descendente de Sante Bragion e Teresa Brunelli que de Joanóplois passaram para Atibaia.

Família Veronese da Província de Padova que de Ribeirão Preto passaram para Atibaia no início do século XX.

 

LEAD Technologies Inc. V1.01

Em destaque vê-se as cidades de Este, Ospedaletto, Ponso e outras e também as localidades de Torre, entre Ospedaletto e Este, Palugana e no sul a esquerda Valli Mocenighe

 

 



[1] Também descobrimos uma certdião de óbito de um certo Fidenzio Bedore morto aos 22.06.1880 filho de Antônio Bedore e de Antonia Meneghini com 59 anos

[2] Encontramos uma certidão deóbito de um certo Luigi Bedore morto aos 24.08.1884 filho de Giovanni e de Cataria Trovò

[3] Encontramos uma certidão de casamento de um certo Matteo Bedore com Marian Panelo em 22.01.1823